Tribuna (quase) Livre



Convidado do Tribuna Livre da sessão da Câmara de Cuiabá desta quinta (20), o jovem João Victor Pacheco Fos Kersul de Carvalho 'lacrou' ao ensinar ao vereador Demilson Nogueira (PP) noções básicas de democracia, civismo e urbanidade.





Após falar da situação do Movimento em Defesa das Pessoas atingidas pela Hanseníase (Morhan), coordenado por ele, João Victor manifestou seu repúdio à moção de aplausos aprovada na Câmara em favor da Polícia Civil do Rio de Janeiro pela operação na favela do Jacarezinho (RJ), na qual morreram 28 pessoas, e foi censurado pelo vereador.


"Como cuiabano, manifesto meu voto simbólico referente à moção de aplausos que teve votação na quinta passada. Sou a favor da justiça, sou contra a execução e à pena de morte, sou a favor da aplicação da lei e da ressocialização do indivíduo”, disse João Victor, quando foi interrompido por Demilson.


Com sua fala garantia pela Mesa Diretora, João Victor continuou a aula para Demilson: “É importante estabelecer essa ponte de comunicação com o cidadão cuiabano, com a população que preserva a boa democracia, eu tenho direito à minha opinião; como movimento social e como cidadão cuiabano e brasileiro, as ideias diferentes devem ser escutadas e respeitadas”, afirmou o convidado da vereadora Edna Sampaio (PT) .


“Essa é a Casa do povo, todas as pessoas que vem aqui tem direito a sua opinião e cabe a nós o respeito à fala de quem é convidado aqui. Não fomos eleitos com o voto de todo mundo, mas todos aqui representam uma parcela da população e todos têm direito a se expressar”, disse ela.


Fonte: Site Hipernotícias