top of page
160ee6c0-457f-4996-9239-29b5d6455e6c.JPG

Tribuna livre discute coleta de lixo e condição de vida dos catadores


Cuiabá produz 650 toneladas de resíduos todos os dias. A gestão sustentável dos resíduos e a valorização das cooperativas de catadores foram tema da Tribuna Livre na Câmara Municipal, nesta terça-feira (22), com a presença de Paulo Wagner Oliveira, professor, jornalista, ambientalista e membro da ong Instituto Cidade Amiga.


Ele compareceu a convite da vereadora Edna Sampaio (PT).


Oliveira criticou a prefeitura da capital por ter criado a tarifa referente à coleta de lixo sem que exista sequer uma política pública para a gestão de resíduos na capital. Ele cobrou do executivo a implantação de um plano de manejo da limpeza pública e de gestão de resíduos que atenda à Política Nacional de Resíduos (lei 12.305/10), onde o resíduo é tratado como gerador de renda e de cidadania.



Ele também cobrou que a taxa de limpeza pública seja aplicada na gestão sustentável dos resíduos, visando a coleta seletiva e a destinação dos recicláveis, compostáveis e reutilizáveis para as cooperativas, gerando renda aos catadores.



Oliveira observou também que a prefeitura está remunerando apenas os catadores que sobrevivem no lixão, mas não as cooperativas e associações, que efetivamente prestam o serviço de coleta sustentável e destinação correta dos resíduos.


Ele defendeu boas condições de trabalho para os 250 catadores que sobrevivem dos lixões, onde enfrentam situações insalubres, e defendeu que a inserção produtiva destes trabalhadores esteja prevista nas políticas públicas, e pediu apoio às associações e cooperativas de catadores, enfatizando que são importantes agentes ambientais.


“Há quanto tempo o município convive com essa realidade triste, sem solução? Venho aqui pedir que não haja essa invisibilização dos catadores e catadoras. Coletar e jogar no lixão é fácil, mas só as cooperativas e associações de catadores fazem a segregação e dão destinação sustentável ao resíduo”, disse ele.

O ambientalista também pediu que haja mais discussão sobre a implementação de consórcio para a gestão dos resíduos sólidos que está em discussão pelos municípios e pelo governo do estado.



“As cidades do mundo precisam se repensar para que possam ser sustentáveis e o grande problema da humanidade é a coleta de lixo. Em Cuiabá, precisamos pensar sobre isso e quero cobrar o plano municipal de manejo sustentável dos resíduos, que foi aprovado; o plano diretor, que está sendo prometido para ser encaminhado a esta Casa desde o início do nosso mandato, e o plano municipal de cultura”, afirmou a vereadora Edna.

“Estes planos são importantes para dar consistência às políticas públicas de gestão de resíduos e, inclusive, mudar a cultura do nosso povo e dos nossos governos, pois o manejo sustentável é também uma questão de cultura”.



Comments


bottom of page