Projeto “A vez e a voz da mulher” saiba mais sobre esta ação

Atualizado: 10 de mai.





O Projeto "A vez e a Voz da Mulher" já está em desenvolvimento.


A primeira edição do projeto aconteceu no bairro Planalto, em Cuiabá.


O projeto, que está em fase de construção, é realizado pelo Mandato, em parceria com o Instituto de Recuperação, Proteção e Amparo à Mulher Dependente Química do Estado de Mato Grosso (IRPAMDEQ) e a AFON (Associação Fome Não).



Durante o lançamento do projeto, que aconteceu no último sábado (7), aconteceram oficinas de maquiagem, com Cris Moraes; tranças afro, com Diela Tamba, e artesanato, com Joelma Pereira; roda de vivência e atendimento individual com as psicólogas Rosana Trevisan e Roseli Barreto e palestra jurídica de instrução sobre direito da mulher, com a advogada Evania Almeida.



“Para estas mulheres, vai ser ótimo. Elas sempre reclamam que não conseguem trabalhar por não ter onde deixar os filhos. Temos muitos problemas com falta de creches. Com estas oficinas, elas vão poder trabalhar em casa mesmo e ainda conseguir cuidar dos filhos. E ainda, aumenta a autoestima delas, pois quando procuram cursos em outros lugares, não conseguem fazer por não ter como pagar”, disse Letícia Corrêa da Silva, vice-presidente do IRPAMDEQ.



Segundo ela, para muitas mulheres, aprender algo novo e que pode se tornar uma fonte de renda é vislumbrar uma saída da de uma situação de vulnerabilidade econômica frente ao agressor e da situação de violência. “Esta oferta de cursos possibilita a elas aprender algo de graça para poder exercer uma profissão, então a autoestima delas vai lá em cima”.


Para presidente da AFON e co-vereadora do Mandato Coletivo, Maristhela Garcia, o projeto ultrapassou as metas.


“Foi uma luta para conseguir as doações e parcerias e tudo o que buscamos superou as expectativas. A AFON colaborou com o almoço; as psicólogas, com o lanche. As bolsas e kits que recebemos para doação às mulheres foram mais do que suficientes”, disse ela.


“As profissionais levaram muita luz para aquelas mulheres. Com as psicólogas, foi uma roda de conversas maravilhosa e a palestra com a Dra Evânia também foi excelente [...]. O Mandato da Edna teve essa ‘sacada’ fantástica com esse projeto, e ele será grande em nossa cidade, quiçá, em nosso Estado”.


Participantes


Entre as participantes, a avaliação foi positiva. “Está sendo bom, é uma aprendizagem para nós. Tentarei continuar fazendo isso, pois tudo hoje em dia tudo dá dinheiro, sabendo fazer um bom uso. Uma renda a mais sempre é bom. Também achei a palestra com as psicólogas interessante. Falaram sobre tudo o que diz respeito a nós mulheres”, disse a auxiliar de limpeza Evanil Nunes da Costa, de 40 anos.



“Achei muito interessante cada um falar o que está sentindo, foi muito bom. A gente quase não sai e eu gosto muito de conversar, fazer amizades, sair. Essa conversa com as psicólogas ajudou muito. Vou levar de aprendizado para minha família", disse a dona de casa Noize Magalhães


“É muito difícil conseguir trabalho; quando procuro emprego, perguntam qual curso já fiz e onde já trabalhei. Frequento o instituto e procurei a oficina de artesanato para ver se consigo trabalhar para ganhar um dinheirinho. Quero aprender e fazer para vender”, disse a dona haitiana de casa Michele Belizaire, de 35 anos, que há oito anos vive em Cuiabá.


IRPAMDEQ



O IRPAMDEQ atende a 300 mulheres e 220 famílias dos bairros Planalto, Doutor Fábio, Altos da Serra, CPA e até de bairros mais distantes, como o Pedra 90.

Além das dependentes químicas, também atende a idosas, pessoas com depressão, vítimas de violência e pessoas em situação de vulnerabilidade.


O Instituto oferece atendimento psicológico e cursos de artesanato. Em parceria com o Senai, dá formação profissional nas áreas de construção civil e gastronomia, e oferece alimentação, por meio da AFON.