top of page
160ee6c0-457f-4996-9239-29b5d6455e6c.JPG

Mandato Coletivo participa de ato por passe livre



Na tarde da última quinta-feira (28), representantes do Mandato Coletivo pela Vida e por Direitos, liderado pela vereadora Edna Sampaio (PT), estiveram presentes na mobilização pelo passe livre, organizada pelas entidades estudantis do município e do Estado para reivindicar o uso irrestrito do cartão de ônibus aos alunos do ensino básico e das instituições de ensino superior. A concentração se iniciou na praça Ipiranga, no centro, indo em direção à Prefeitura. O ato foi encerrado na praça Alencastro.


Os estudantes denunciam que os cartões de ônibus estão sendo bloqueados desde fevereiro deste ano. As instabilidades ocorrem durante o período de férias das escolas de ensino básico e no início do semestre letivo das universidades.


Com os bloqueios, a Associação Mato-Grossense dos Transportadores Urbanos (MTU) restringiu o uso dos cartões dos estudantes, que agora podem usá-los somente de segunda a sábado, até às 14h. Antes, os cartões podiam ser utilizados todos os dias e em qualquer horário.


Denilson Silva de Oliveira, presidente do Centro Acadêmico do curso de História, da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT), diz que o bloqueio dos cartões impede os estudantes de terem acesso às aulas. “Nós não utilizamos o passe livre somente para frequentar as disciplinas regulares do semestre. Utilizamos para ir aos projetos de pesquisa, estágio, ir aos espaços culturais da nossa cidade e à biblioteca”, disse.


Manifestantes pelo passe livre irrestrito rumo à Prefeitura

Na terça-feira da semana passada (18), representantes da União dos Estudantes de Mato Grosso (UEE) e da Associação Mato-Grossense dos Estudantes Secundaristas (AME) se reuniram com o Secretário Municipal de Mobilidade Urbana (Semob), Juares Samaniego, para viabilizarem o desbloqueio dos cartões. Contudo, muitos estudantes ainda não conseguem fazer o uso do passe.


Na manhã desta quinta-feira (28), o presidente da Câmara, vereador Chico 2000, recebeu os representantes das entidades estudantis para nova tratativa a respeito do passe livre.


“Chico 2000 se comprometeu a marcar uma reunião com a MTU, o prefeito e as entidades estudantis para pautarem a reformulação da lei do passe livre, que é de 2001 e não nos contempla mais”, explicou Denilson Silva. A lei em questão é a 4.141/2001, que instituiu a meia passagem para os estudantes.


Lucas Gabriel, presidente da AME, acredita que a Câmara Municipal está aberta para ouvir as demandas das entidades estudantis. “A Câmara de Cuiabá tem se mostrado aberta para dialogar com os estudantes, mas a MTU não quis nos atender em nenhum momento”.


Geovana Bezerra, presidenta da UEE, diz que a luta pelo passe livre irrestrito se viabiliza nas ruas e pelo diálogo com os gestores do município. “A pressão popular garante algum resultado através da nossa permanência na luta. Se a gente receber um não, estaremos nos mobilizando novamente, pois somos resistência”.


Estiveram representando o Mandato Coletivo os assessores parlamentares Eduardo Gomes de Amorim Santos, Lucas Gonçalves e Gabriel Henrique, que é estudante do curso de Ciências Sociais. Ele acredita ser essencial que o mandato se some à luta pelo passe livre. “Os alunos do ensino básico e das universidades estão com seus direitos de acessar a educação cerceados. Por isso, é importante estarmos nas ruas com eles, garantindo a luta pela permanência dos estudantes nas escolas e nas universidades”, disse.


bottom of page