Mandato Coletivo no "Beco do Orgulho"


Na noite de 2 de julho, o Mandato Coletivo pela Vida e por Direitos esteve presente no projeto “Beco do Orgulho”, uma ação em parceria entre a comunidade LGBTQIA+ e a Prefeitura Municipal, que homenageou o Dia Internacional do Orgulho LGBTQIA+, com apresentações de artistas locais do mundo LGBTQIA+ e exibição de curta metragens.


O Mandato Coletivo colaborou para o evento com a realização de uma exposição de fotografias produzidas pelo Coletivo Mato-grossense de Jornalismo (Com_Texto) e pela fotógrafa Mary Juruna com o tema “Parada Gay”.




A vereadora Edna Sampaio esteve presente e, em sua fala, salientou que as violências sofridas tanto por mulheres negras quanto por pessoas LGBTQIA+ são violências de gênero e declarou sua solidariedade.



“Não é fácil no tempo que a gente vive a lutar por direitos especialmente daqueles corpos que como o meu corpo de uma mulher negra não é um corpo reconhecido como corpo de direitos, muitas vezes”.


Ela destacou que Mato Grosso e Cuiabá protagonizarem a violência de gênero e que essa violência também tem a ver com a violência que as pessoas LGBTQIA+ sentem.


“Nós, mulheres negras, nos solidarizamos porque o que nos vitima é a mesma coisa: um machismo estrutural que nega aos corpos considerados desviantes o direito de existir e de ter o seu próprio projeto de felicidade”, disse ela.


A vereadora falou sobre duas reinvindicações da população LGBTQIA+ que o Mandato está encaminhando junto ao poder executivo.



“A primeira é a instituição de uma unidade de coordenação de políticas LGBTQIA+ porque nós queremos políticas públicas, não só eventos, embora eles sejam importantes”, disse ela.

“Também queremos é um centro de atendimento a pessoas LGBTQIA+, isso é parte da política”, finalizou.




A vereadora também destacou a importância de que o poder público volte sua atenção a esta população e abrace sua causa.


“A opressão que estes corpos sentem não é apenas a opressão, ela gera um poder de resistência, que também gera uma cultura. E esta cultura de resistência eu saúdo e digo: vocês têm todas as razões do mundo para se orgulharem do que são”, destacou a parlamentar.


“Mais do que isso: vocês são responsáveis, com sua luta, pelo lugar que estou ocupando hoje”, disse ela.