Edna Sampaio participa de Romaria d@s Trabalhador@s

Atualizado: 4 de mai.

Por: Neusa Baptista Pinto

Assessoria de Comunicação


Durante a 31ª edição da Romaria das Trabalhadoras e dos Trabalhadores, neste domingo (1º), a vereadora Edna Sampaio salientou a importância do evento, do qual participa desde jovem, para a sua militância.


Foto: Chico Alves

“Para mim, que iniciei a minha militância na igreja, é uma alegria estar aqui. Fiquei muito emocionada ao entoar os cânticos que embalaram a minha juventude, na resistência na Teologia da Libertação, na luta pelo povo oprimido, que nunca abandonamos. Hoje tenho 55 anos. Minha militância começou aos 16 e continuo firme, como tantos outros que vejo aqui e em todos os espaços onde tenho militado”, disse.

“Muito obrigada pela resistência de cada um e cada uma, por que vocês, ao caminharem e trilharem este palmo de chão por justiça, por terra, pão, fraternidade, animam outras pessoas a trilharem o mesmo caminho. Estamos juntos e juntas no Brasil que vamos construir a partir do ano que vem. Lula presidente, Fora Bolsonaro!”.



A Romaria reuniu representantes do movimento de mulheres, indígena, negro, LGBTQIA+ e estudantil, entre outros, e percorreu as Avenidas Jurumirim e Dante Martins de Oliveira.




Durante o percurso, foram feitas diversas intervenções em que se pautavam questões políticas envolvendo os direitos humanos, tais como o acesso à saúde, ao saneamento básico, à segurança cidadã e à renda, abordando a realidade atual e o contexto local, e convidando os trabalhadores a se unirem contra a opressão que é praticada pelo próprio governo contra o povo.



Representando o Mandato Coletivo pela Vida e por Direitos também estavam os co-vereadores Clóvis Arantes, liderança do movimento LGBTQIA+, e a professora Fanize Albuês.



“Sempre estivemos na caminhada, pois a comunidade de gays, lésbicas, travestis, bissexuais está presente em todos os setores da sociedade e precisamos aproveitar estes espaços para denunciar as mortes das pessoas LGBTQIA+. Mato Grosso está entre os cinco estados que mais assassinam pessoas LGBTQIA+ então, não dá para falar em romaria sem falar da romaria destas pessoas que lutam para existir e resistir. Por isso, a importância deste dia. Esta romaria é a forma de dizer que vamos resistir contra Bolsonaro, o genocídio e toda forma de discriminação”, disse Clóvis.