Vereadora realizará audiência sobre modelo de transporte público em Cuiabá

Por: Neusa Baptista Pinto

Assessoria de Comunicação




A vereadora Edna Sampaio (PT) aprovou requerimento para a realização de uma audiência pública sobre a política de transporte público na Capital, diante do decreto que aumenta a passagem de ônibus de R$ 4,10 para R$ 4,95.


A parlamentar havia protocolado projeto de decreto legislativo que determinava a suspensão do reajuste e, até esta quinta, chegou próximo de conseguir a totalidade das assinaturas necessárias para a aprovação da tramitação da matéria em regime de urgência, o que permitiria que ela fosse pautada em plenário.


Ela criticou os argumentos econômicos usados por colegas para defender o reajuste. "Nenhum empresário quer arcar com o custo da situação econômica que vivemos e estamos empurrando essa perda para os mais pobres. Que o empresário faça isso para salvar seus lucros, até entendo. Mas é inaceitável que, quem foi eleito para tomar decisões para diminuir o sofrimento da classe trabalhadora, não faça nada e ainda argumente que o valor aumentou porque o óleo diesel subiu, que a tarifa não sobe há dois anos. Pergunte para qualquer família qual foi o aumento de sua renda nestes últimos dois anos?”, disse.

Edna defendeu o protagonismo e a autonomia da Câmara para discutir a questão.


“Precisamos mostrar, efetivamente, que estamos dispostos a interpelar o prefeito quando ele toma uma decisão unilateral". O orçamento público é limitado, mas cabe ao gestor a decisão de priorizar o que é prioritário, alocar os recursos conforme a demanda da maioria da população e não seguir a execução do orçamento como se não estivéssemos vivendo uma tragédia social”, comentou.

Edna também ingressou com ação junto ao Tribunal de Justiça (TJ-MT) para barrar o reajuste. Movimentos sociais prometem manter a mobilização em torno da pauta. Representantes de entidades compareceram à sessão desta quinta e também estiveram reunidos com a parlamentar no debate promovido por ela na noite de ontem (4). Eles estarão amanhã (6), às 17h, na Praça Ipiranga, onde acontece o “Grito Contra o Aumento da Passagem e pelo Passe Livre”, uma ação encabeçada pela juventude do Partido dos Trabalhadores.


“Têm sido complicado para a população os aumentos absurdos que estão acontecendo no país, e isso dificulta para que a população de rua possa acessar os espaços onde poderão ter acesso a alimento, albergue, posto de saúde etc. Estas pessoas já têm dificuldade de estar em sociedade, não têm acesso sequer ao ônibus, enfrentam situações psicológicas complicadas e esse aumento só vem piorar ainda mais sua situação", disse a representante da população LGBTQIA+ que vive em situação de rua, Camila Alves.