Vereadora do PT denuncia ameaças após expor outdoor contra Bolsonaro

Uma vereadora de Sinop (MT) entrou com uma representação junto ao MPF (Ministério Público Federal) pedindo proteção à vida dela e punição a autores de supostos ataques contra ela nas redes sociais. A Professora Graciele (PT), denunciou que passou a ser alvo de ameaças de morte desde que seu nome surgiu como um dos financiadores de uma campanha que colocou outdoors na cidade com mensagens contra o presidente Jair Bolsonaro.


Uma das pessoas que participou da ação e pediu para não ser identificada, temendo represália, contou ao UOL que a situação foi tão séria que, durante a instalação da mídia visual, um dos carros da empresa responsável foi fechado por um grupo de bolsonaristas, que fizeram ameaças para impedir novas instalações.


"Os outdoors instalados foram depredados e a empresa sofreu toda sorte de ameaça, por isso optou por retirar", informou a fonte. O UOL tentou contato com a empresa responsável pela instalação dos painéis, mas não obteve retorno. A confusão aconteceu no final de maio, já que as instalações ocorreram entre os dias 26 e 27, mas as ameaças contra a vereadora começaram nesta semana, por isso a representação ao Ministério Público Federal foi feita ontem e contou com o apoio de Edna Sampaio, vereadora pelo PT em Cuiabá.


Edna confirmou a entrada na ação junto ao MPF. "As ameaças contra a integridade física e moral dela, inclusive abalando a vida familiar dela, do filho dela, que é um jovem de 20 anos e que ficou muito assustado com os xingamentos, as mensagens de ódio que foram endereçados a ela, pessoalmente, nas redes sociais, em grupos de Whatsapp, uma coisa horrorosa", afirmou ela, ao UOL. Edna afirmou que é preciso combater esse tipo de atitude. "Nós não podemos admitir que, em qualquer lugar deste país, a gente seja coagido pela opinião política que nós temos. Isso é uma afronta ao direito de liberdade de expressão que está escrito na Constituição Federal e mais ainda: é a prova do machismo e misoginia, que está presente em algumas pessoas, que insistem em espalhar o ódio, como se isso não fosse criminoso".


Já a vereadora Graciele afirmou que ficou assustada e temendo por sua família. "Foram vários tipos de ataque, injúria, calúnias, ameaças, xingamentos de toda natureza e isso é muito triste porque é uma região que é muito forte o discurso de família de bem, de Deus, pátria e família e eu sou uma mãe de família, tenho uma vida pessoal também e meus familiares foram afetados por conta do tom violenta dessas manifestações que houveram em redes sociais", lamenta. Segundo a vereadora, as ameaças não são apenas contra ela. "Sofri um sério ataque ao direito de livre manifestação que aqui muitas vezes atinge cidadãos comuns, atinge a imprensa e isso precisa mudar nesse cenário", encerra.


Fonte: Site UOL