Vereadora discute projetos com prefeito de Cuiabá



Os vereadores Edna Sampaio (PT) e Dídimo Vovô (PSB) conseguiram do prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) a garantia de que os produtores da Cooperativa dos Pescadores e Artesãos de Pai André e Bonsucesso (Coorimbatá) não serão obrigados a abandonar a sede que hoje ocupam, no bairro do Porto.

A cooperativa é uma rede de economia solidária que articula produtores de Cuiabá, Sinop, Pontes e Lacerda e Cáceres e conta com o apoio da Universidade Federal de Mato Grosso e da Unemat.


Recentemente, a Secretaria de Agricultura, Trabalho e Desenvolvimento Econômico requisitou o espaço para a construção do Banco de Alimentos do município, e criou-se um impasse sobre o destino dos produtores.


Em março, a associação e um grupo de professores da UFMT procuraram a vereadora para solicitar o apoio para evitar o despejo da cooperativa e, naquela oportunidade a vereadora e os membros da cooperativa estiveram reunidos com o Secretário Vicente Vuolo, da Agricultura, porém, o impasse não havia sido resolvido.


Em reunião entre os vereadores e o prefeito, na tarde desta quinta (27), ficou definido que o executivo se reunirá com a comissão de representantes dos produtores para discutir as adaptações necessárias no prédio, mantendo a cooperativa juntamente como projeto Banco de Alimentos.


“É um projeto de geração de renda e agora, durante a pandemia, criaram um aplicativo de revenda pelo qual conseguem fazer a venda solidária para várias partes do Estado. É um trabalho fantástico, que não tem apoio do poder público, mas que estava, aqui em Cuiabá, em um espaço do poder público e, não podemos despejá-los, é importante que a prefeitura apoie essa iniciativa”, explicou a vereadora.


O secretário da pasta, Francisco Vuolo, esclareceu que o espaço foi requerido devido à necessidade de uso do prédio para a instalação do banco de alimentos. Contudo, diante da necessidade de apoio reivindicado pela vereadora, o prefeito orientou o secretário sobre uso compartilhado do espaço, garantindo a manutenção da cooperativa no espaço. Assim, abrindo a possibilidade de realização de parcerias com os produtores.


Dessem modo, o prefeito garantiu a permanência dos produtores e se comprometeu a visitar a cooperativa, solicitando que os trâmites passem a ser conduzidos diretamente pelo Secretário da pasta de Agricultura, Trabalho e Desenvolvimento Econômico.


O impasse dos produtores chegou a ser tratado pela representante da cooperativa Maria Valéria de Marais Silva, que no mês de abril esteve na tribuna livre da Câmara Municipal de Cuiabá, a convite da vereadora Edna Sampaio.


Renda


A vereadora também entregou ao prefeito projeto de lei apresentado por ela à Câmara, o qual cria a Renda Básica Solidária e que prevê atender a cerca de 20 mil famílias. O prefeito informou sobre o PL de autoria do executivo que reedita o Renda Cidadã, que será apresentado à Câmara. A vereadora pediu que a política de renda inclua, também, o segmento mais vulnerável da população.


Na visão da vereadora, o prefeito deve incluir na política de renda as camadas mais pobres, que sequer têm acesso a qualquer autoridade pública. “Defendemos uma política de renda mais ampla que contemple os profissionais da cultura, das atividades do comércio e serviços paralisados pela pandemia e, os mais pobres cuja pobreza extrema impede, inclusive, de reivindicar seus próprios direitos,” disse ela.


Para Edna Sampaio, é preciso estabelecer uma política de renda que tenha como base um fundo sustentável e permanente porque a pandemia e seus efeitos não vão passar em dois ou três meses. O poder público tem um papel fundamental de combate à pobreza e, esse papel está inscrito na própria Constituição como razão de ser do Estado.


A vereadora também discutiu com Pinheiro a revitalização e gestão do Centro Histórico da região da Prainha, Morro da Luz e Praça da Mandioca e, entregou ao prefeito um estudo realizado por pesquisadores da UFMT sobre o tema, coordenado pela Profa. Dra. Luciana Mascaro. O estudo dos pesquisadores apresenta um retrato da região e, indica a sua revitalização a partir de programa que inclua a cultura, arte, educação e tecnologia social articulados à programas de geração de renda. E, ainda, assinalou a história daquela região, edificada pelo povo preto escravizado, cuja memória sofreu profundo apagamento.



“Todas as construções históricas dali têm as marcas do povo preto da nossa cidade nós não temos nenhuma referência deste povo. Gostaria que ele fosse utilizado para atividades das organizações da sociedade civil, dos órgãos públicos, para atender a esta população mais vulnerabilizada em respeito à memória de nosso povo, que tanto deu por esta cidade”, disse ela.


“Prazer enorme em receber a vereadora Edna em nosso gabinete, com pautas altamente relevantes de cunho popular, social e preocupação com os mais carentes, menos favorecidos, aquela parte que está em situação de vulnerabilidade social. Ela também trouxe propostas, idéias que valorizam a cultura cuiabana, que dão espaço, vez e voz aos excluídos e juntos estamos nos comprometendo a avançar nessas políticas públicas”, disse o prefeito.