NOTA DE REPÚDIO E SOLIDARIEDADE

Atualizado: 28 de mai.

Professora Priscila Scudder





Manifestamos nosso repúdio à agressão sofrida pela pesquisadora e professora Priscila Scudder, de Rondonópolis (MT) e nossa solidariedade à companheira, que durante uma palestra, a convite da OAB-MT, foi alvo ataques, ameaças e ofensas proferidas por um homem que estava na plateia, após ter feito críticas ao governo Bolsonaro.


O fato aconteceu no momento em que ela prestava homenagem a seu pai, que faleceu vítima de Covid-19, algo que faz sempre em suas palestras, relacionando esta perda com a de mais de 600 mil vidas pela doença, graças ao colapso do sistema de saúde provocado pela ausência de políticas de enfrentamento à pandemia por parte do governo federal, situação que foi diretamente responsável pelo alto grau de letalidade da doença no país, como é de conhecimento geral.


Além da agressão, nesta data, um vídeo mostrando o fato passou a ser divulgado nas redes sociais por apoiadores de Bolsonaro.


Infelizmente, ataques como este são cada dia mais comuns, já que o bolsonarismo é incapaz de conviver com a diversidade de ideias e de lidar com fatos concretos.


A professora Priscila apenas reafirmou o que foi amplamente investigado e comprovado pela CPI da Pandemia, onde foram indiciadas 78 pessoas, entre elas o próprio Bolsonaro.


Ele responde por prevaricação, charlatanismo, epidemia com resultado morte, infração a medidas sanitárias preventivas, emprego irregular de verba pública, incitação ao crime, falsificação de documentos particulares, crimes de responsabilidade, crimes contra a humanidade nas modalidades extermínio, perseguição e outros atos desumanos.


Por isso, reforçamos nosso repúdio ao machismo, ao racismo e nosso apoio ao direito à livre manifestação de opinião, prevista na Constituição Federal de 1988.


Denunciamos também a tentativa de silenciamento de uma mulher negra, que muito orgulha as mulheres negras, por ocupar o espaço acadêmico, o qual foi historicamente negado a elas e que, por meio de uma palestra gratuita, compartilhou seu vasto conhecimento sobre racismo e saúde mental, tema de sua fala.


Priscila Scudder é doutora em Educação e pós-doutora em Integração Contemporânea da América Latina e professora do curso de História da UFR, fundadora do Núcleo de Estudos Afro-brasileiros e Indígenas da UFR e membro da Associação Brasileira de Pesquisadoras (e) Negras (os).


Este acontecimento infeliz mostra um contexto de machismo e racismo exacerbado pelo fascimo que nega o protagonismo à mulher negra.


Mas uma mulher negra, quando se movimenta, abala as estruturas da sociedade.


Cobramos das autoridades as medidas cabíveis para punir os culpados!


Não seremos interrompidas. Viva a luta das mulheres!




Cuiabá-MT, 25 de maio de 2022.


MANDATO COLETIVO PELA VIDA E POR DIREITOS

VEREADORA EDNA SAMPAIO