Edna visita Lagoa Encantada e defende ações ambientais

Por: Neusa Baptista Pinto


Em visita ao Parque Lagoa Encantada, no bairro do CPA III, em Cuiabá, nesta sexta-feira (4), a vereadora Edna Sampaio (PT) afirmou que vai atuar para ajudar a comunidade do entorno, que há anos luta por melhorias para o local, onde se localizam lagoas de decantação e um complexo com pistas de caminhada e aparelhos para a prática esportiva. As lagoas recebem dejetos de nove bairros da região.



“Queremos que Cuiabá seja uma cidade sustentável, especialmente neste momento em que estamos vivendo, talvez, a maior tragédia que o planeta poderia viver nos últimos milênios, a crise do clima, que pode transformar algumas partes do planeta em ambientes inabitáveis”, disse ela.


A economista Agada Werner, que frequenta o local diariamente, conversou com a vereadora sobre a necessidade de melhorias na pista de caminhada para adaptá-la às necessidades de isolamento social e de reparos no local.


“Esse parque tem doze anos de atividade e falta plantar muitas árvores, tem espaço; existe a demanda por mais parques públicos em Cuiabá. Como não tem iluminação pública à noite, a população precisa usar somente durante o dia, em um período curto, nos horários em que é mais fresco”, disse ela, que é co-vereadora do Mandato Coletivo pela Vida e por Direitos.




“Este parque é um retrato político da forma com que se trata a questão ambiental em Cuiabá, e ela não diz respeito só a um parque, mas a todo o contexto de sociedade, e os parques têm que estar ligados a isso. Precisamos de leis que regulamentem políticas para os parques, políticas públicas efetivas”, disse Sebastião Carlos Moreira, morador do local e membro do Conselho Indigenista Missionário.


“Temos um espaço enorme de ação legislativa para a preservação dos parques municipais. Vamos estudar isso e dialogar com a comunidade da região sobre o uso dos equipamentos daqui; são estruturas muito boas, que estão abandonadas, uma parte sendo utilizada pela subprefeitura da região, mas precisamos de uma política de gestão do parque e de interação com a comunidade no entorno”, disse a vereadora.



Ela destacou a importância da educação ambiental e informou que irá convidar a população para discutir e ser protagonista na definição das políticas para o parque. “Educação ambiental não é apenas plantar árvores, mas também as pessoas perceberem a importância do patrimônio público”, disse ela.


“Encontramos pássaros do Pantanal aqui; a vida pantaneira insiste em sobreviver, mas precisa de uma ajudinha do poder público e é isso que vamos buscar”, disse.