Edna discute com Fórum Sindical posição sobre afastamento de prefeito






Em reunião com a coordenação do Fórum Sindical, nesta segunda (22), a vereadora Edna Sampaio (PT) esclareceu aos sindicalistas sua posição a respeito do afastamento do prefeito Emanuel Pinheiro e da cassação de seu mandato, e informou sobre o relatório que será apresentado nesta terça (23) à Câmara Municipal pela Comissão Especial de Acompanhamento, com base na análise de oito processos que tramitam atualmente na Justiça contra o prefeito.


“Os dados mostram que houve crime político-administrativo e que ele deve ser julgado pela Câmara Municipal. Vamos utilizar o relatório como base para a denúncia que faremos para a abertura de uma Comissão Processante. Eu assinarei, pois acredito que este tipo de situação deve ser assumido pela Câmara e pelos vereadores”, disse ela.


Segundo ela, o relatório será lido na sessão ordinária desta terça e votado na quinta (25) para que haja prazo para que os demais vereadores tomem conhecimento do documento.


Edna Sampaio salientou que a privatização dos serviços é uma realidade que se repete na administração pública e que, portanto, essa é uma oportunidade de ampliar o debate, trazendo para a pauta a luta pelo fortalecimento do serviço público.


“O que acontece na Prefeitura acontece também na administração estadual. Temos uma prática comum na administração pública, que é a negação do concurso público para transformar a administração num canhão político para quem governa”, disse ela.

“Neste momento em que Ministério Público, Judiciário e Tribunal de Contas levantam estas investigações contra o prefeito, nos vimos, enquanto parlamentar, na obrigação de trazer à luz do debate, naquela Casa, as providências que são de nossa obrigação”.


A vereadora encaminhará ao fórum uma cópia do relatório, e ele será discutido em uma reunião, na quarta-feira (24), onde as entidades definirão se vão emitir uma nota pública sobre o assunto.


“Fui coordenadora do Fórum Sindical e a minha relação com esta entidade sempre foi enquanto sindicalista. Numa situação em que a minha atuação no parlamento pode vir a ensejar a cassação do prefeito, achei importante dialogar com o fórum sindical, trazer o relatório e explicar a minha posição, que tem a ver com a defesa do serviço público, com a luta contra a PEC 32”, explicou a vereadora.


O Fórum reúne 34 entidades. “Primamos pelo equilíbrio e pela sintonia com os servidores públicos. Caso realmente sejam constatadas as irregularidades, vamos apoiar a Justiça”, disse James Rachid, um dos coordenadores do Fórum.

“Agradecemos o trabalho da vereadora, que está sendo equilibrado, pautado tecnicamente e, principalmente, seguindo o ordenamento jurídico brasileiro, que não foi seguido nos outros casos. Vamos nos pautar sempre pela Justiça”.


Representando o Fórum, também estiveram presentes a presidente do Sindicato dos Servidores Públicos da Saúde do Estado de Mato Grosso (SISMA-MT), Carmem Machado, e os diretores do Sindicato dos Trabalhadores no Ensino Público de Mato Grosso (Sintep-MT), Orlando Silva, e do Sindicato dos Trabalhadores do Sistema Agrícola, Agrário, Pecuário e Florestal (Sintap-MT), Vânio Brandalise.