top of page
160ee6c0-457f-4996-9239-29b5d6455e6c.JPG

Edna critica blackface e pede reparação



Durante a sessão ordinária desta quinta-feira (25), na Câmara Municipal, a vereadora Edna Sampaio (PT) aproveitou a homenagem que fez aos 140 anos de falecimento do advogado negro Luiz Gama, lembrado na data de ontem (24), para comentar a polêmica que envolveu a empresária Carolina Scheffer, que foi alvo de críticas depois de ter divulgado uma foto em que aparece em uma festa com o corpo todo pintado de preto, na tentativa de se caracterizar como uma pessoa negra.


A prática, conhecida como "blackface", é considerada racista por ridicularizar pessoas negras para entreter outros grupos.


Edna sugeriu que em vez de apenas pedir desculpas e excluir o post da foto, a empresária invista em atitudes práticas para combater o racismo, como políticas de ação afirmativa.


“[...] suas desculpas serão aceitas se, mais do que apagar uma postagem, promover em sua empresa ações afirmativas que permitam às pessoas negras a oportunidade que o povo negro não tem tido na empregabilidade e nos cargos de chefia e de direção das empresas, que contrate negros para exercer cargos de chefia, apoie as instituições que combatem o racismo”, opinou.


“Nós, negros e negras, não achamos que a nossa pele, nosso cabelo seja fantasia, porque a nossa dor não é fantasia. Não temos nenhuma fantasia com isso”.


A vereadora apontou a desigualdade histórica entre brancos e negros no à cidadania, que remonta aos privilégios que os imigrantes europeus tiveram desde a colonização do país.


“Não aceitamos que nossa dor seja objeto de graça, de uma alusão tão desrespeitosa àquilo que sofremos há séculos nesse país e continuamos sofrendo. A libertação dos escravos, cuja resistência Luiz Gama representa tão bem, ainda não aconteceu completamente”, disse ela.



“Vocês, que se beneficiaram historicamente da política de doação de terras públicas aos imigrantes europeus para fazer fortunas, que comecem a fazer também a política de reparação ao povo negro”.

Opmerkingen


bottom of page