Coorimbatá discutirá parceria com executivo

Acontecerá em julho a próxima reunião entre a Cooperativa dos Pescadores e Artesãos de Pai André e Bonsucesso (Coorimbatá) e a Secretaria de Agricultura, Trabalho e Desenvolvimento Econômico para discutir os trâmites para a instalação do Banco de Alimentos de Cuiabá no mesmo espaço onde hoje está a sede da cooperativa, no bairro do Porto.



O objetivo é formatar uma parceria entre a cooperativa e o executivo, visando a gestão compartilhada do espaço e mecanismos que garantam a permanência dos produtores no local.


Também serão debatidas possibilidades de participação da cooperativa em ações da secretaria.



Em reunião nesta quarta (16) com membros da cooperativa, a vereadora Edna Sampaio e representantes dos gabinetes de Dídimo Vovô e da deputada federal Rosa Neide (PT), o secretário, Francisco Vuolo, informou que a pasta está fazendo o dimensionamento do banco de alimentos antes de discutir a parceria com a Coorimbatá, e que uma das últimas medidas necessárias é a contratação de um nutricionista, processo que será concluído até julho.



Vuolo voltou a assegurar que os produtores serão mantidos no local, que serão tomadas medidas para evitar um novo risco de despejo e que a integração da entidade às ações da secretaria é uma determinação do prefeito Emanuel Pinheiro.



“Estaremos onde está instalada a cooperativa, formando uma parceria numa ação integrada no espaço, implantando o banco de alimentos, com reaproveitamento alimentar”, disse ele, citando a possibilidade de discutir com a cooperativa sobre o programa de aquisição de alimentos, que tramita na Câmara.



“Esse programa vai permitir à prefeitura adquirir alimentos dos produtores de Cuiabá e atender a quem mais precisa”.




O secretário também comemorou a emenda parlamentar, no valor de R$ 400 mil, destinada pela deputada federal Professora Rosa Neide (PT) para investimento no setor.



Sede da cooperativa



A questão do espaço físico da Coorimbatá ficou indefinida depois que a secretaria requisitou a sede da entidade para o banco de alimentos, e houve um impasse sobre onde seria instalada a entidade.



Os produtores buscaram apoio dos vereadores Edna Sampaio (PT) e Dídimo Vovô (PSB) para evitarem o despejo. A parlamentar foi procurada pela associação e por um grupo de professores da UFMT, com os quais chegou a se reunir com o secretário da pasta, Francisco Vuolo, sem acordo.



No final de março deste ano, em reunião com os parlamentares, o prefeito Emanuel Pinheiro garantiu a permanência dos cooperados e ficou definido que o espaço será compartilhado, abrindo-se a possibilidade de firmar parcerias do executivo com a cooperativa e com o Fórum.



“Estamos muito contentes pelo apoio da vereadora à cooperativa; sabemos que, sozinhos, jamais conseguiríamos o que estamos conseguindo hoje dentro da secretaria com o apoio dela; ficamos felizes com todos os apoios que temos conseguido para reconquistar nosso espaço”, disse o presidente da Coorimbatá, Gezoíno Espírito Santo.





“Desde de 2016, nunca vi outro secretário pensar num formato assim, que inclua também as cooperativas, associações, para que elas possam se desenvolver. Para que as cooperativas cresçam, tem que ter gente produzindo, tem que pensar nestas cadeias todas, do começo até o final. A articulação da vereadora Edna é muito importante, porque, para que a prefeitura possa alcançar seus objetivos, precisa da Câmara apoiando seus projetos, precisa de leis”, disse o presidente da Arca Multi Incubadora, Celso Kiyoshi Hazama.



Durante a reunião desta quarta (16), Edna Sampaio argumentou que a Coorimbatá integra uma rede que envolve a articulação com instituições de ensino, cujo potencial poderia ser mais bem explorado pela prefeitura.



“Nesse sentido, talvez possamos articular um grupo de trabalho da secretaria, com a organização das universidades e a cooperativa para pensar como esse projeto do banco de alimentos pode se tornar uma política pública”, disse ela, destacando a importância de investir em economia solidária e em agricultura no contexto da pandemia e da promoção da segurança alimentar.


“Chegamos a um bom acordo e fiquei muito feliz com os projetos que o secretário apresentou e na possibilidade de continuarmos o diálogo e para o fortalecimento do cooperativismo e da economia solidária em Cuiabá”, avaliou ela.





A cooperativa faz parte do Fórum Territorial de Segurança Alimentar e Nutricional e Economia Solidária da Baixada Cuiabana, cuja presidente, Elisabete Maria da Silva, também participou da reunião desta quarta.



Estiveram presentes também as membras da cooperativa, Luciane Moreira e Cristina Silva.