Aprovado projeto de Edna Sampaio que prevê EPI contra a Covid para servidores da Câmara


Foi aprovado na sessão desta quinta-feira (26) pela Câmara Municipal de Cuiabá, o projeto de resolução de autoria da vereadora Edna Sampaio (PT) que prevê o fornecimento de equipamentos de proteção individual - composto de máscaras e higienizador à base de álcool 70% - aos servidores da Casa.

O PR recebeu parecer positivo das Comissões de Constituição, Justiça e Redação e de Fiscalização e Acompanhamento da Execução Orçamentária, tendo sofrido emenda que sugeriu a adoção de máscaras de modelo diferente das inicialmente propostas (PFF2 e/ou N95), alegando impacto sobre o orçamento.

A Câmara conta hoje com 80 servidores efetivos e 420 comissionados. Segundo o Protocolo de Biossegurança da Casa, estão sendo seguidas as recomendações para situações de risco baixo de contaminação, conforme classificação epidemiológica da Secretaria Estadual de Saúde. Entre as recomendações estão o uso da máscara no trajeto ao trabalho e durante todo o expediente.

“Fico feliz que tenhamos a oportunidade de debater, falar sobre o que é a testagem em massa e a importância disso para conter a pandemia. É algo que os governos do nosso país não fizeram”, disse ela.

“Acho importante que a discussão sobre os recursos públicos seja trazida a esta casa, não tenho qualquer objeção à emenda, que modifica o projeto apresentado, mas que mantém o espírito de preservar a saúde dos que trabalham”.

Testagem

Também tramita na Câmara outro PR de autoria da parlamentar, o qual determina que os servidores sejam testados contra Covid semanalmente e os casos positivos encaminhados a atendimento médico.

Durante a sessão ordinária desta quinta, Edna Sampaio defendeu a testagem em massa como forma eficaz de evitar o vírus que circula por meio de pessoas assintomáticas.

A vereadora destacou o risco representado pelas atividades presenciais na Câmara. “Nossos espaços institucionais são fechados, sem ventilação, estamos usando o ar-condicionado o tempo inteiro, o que não é recomendado para a situação de propagação de vírus”.

E criticou os governos por não investirem na testagem em massa da população, apontando este como um dos motivos do alto índice de infecção.

“Os países que conseguiram se livrar da pandemia reduzir a quantidade de agravamentos e de mortes fizeram testagem em massa, diferente do que foi feito no Brasil e em Mato Grosso, onde ela é feita apenas para quem tem os sintomas, pois 40% dos que adoecem não têm sintomas”, opinou.


“O governo do estado se vangloria da testagem feita na arena Pantanal, mas isso é apenas para demonstrar que está fazendo alguma coisa, ‘para inglês ver’, porque as pessoas que apresentam sintomas não são as únicas que transmitem. Quem está rastreando os contaminados?”.